[PT] Receba as actualizações no seu email :: [ENG] Subscribe to receive the updates
By Feedburner

2008/03/31

Pritzker 2008: Jean Nouvel


Jean Nouvel venceu o prémio Pritzker.
Jean Nouvel won Pritzker Prize.
[link]

2008/03/30

A 1º pergunta

Para além de algumas mudanças visíveis no layout da página inserimos uma nova funcionalidade. Até às 13.00h do próximo domingo queremos saber o que pensam os nossos leitores sobre a seguinte questão - Frente Ribeirinha de Lisboa: existindo novas ideias e uma nova entidade gestora, quantos concursos públicos para projectistas se irão realizar?

[no english translation]

Bibliotecário de Babel


«Bibliotecário de Babel é um blogue sobre livros. O que está dentro dos livros, à volta dos livros, antes e depois dos livros» - esta é a frase com que José Mário Silva inicia a caracterização do seu blogue.
Escreve-se sobre livros, autores, conferências e outras literaturas. O Zé Mário, a partir das suas recensões, faz-nos descobrir pistas para novas leituras e, neste mundo virtual da blogosfera, recorda-nos o prazer do livro.
Actualizado quase diariamente e com uma escrita de fino recorte (não posso deixar de destacar um texto sobre um amigo comum recentemente falecido), este é um dos blogues sobre livros com que mais nos identificamos. E o que é certo é que, em português, há muitos e bons blogues sobre livros.
Aqui ficam alguns exemplos: Cadeirão de Voltaire de Sara Figueiredo Costa e Andreia Brites, Vida de Livreiro de João Guimarães Rosa, Bibliotecas Portuguesas de José Pedro Silva e a Livraria Pó dos Livros.

«Bibliotecário de Babel is a blog about books. What's inside, around, before and after books» - this is the statement that José Mário Silva uses to start the description of his blog.
He writes about books, authors, lectures, and other literature. On his posts, Zé Mário give us some clues for new readings, and in this virtual blogs world, he makes us remember the pleasure of reading books.
Its daily posts and its excellent writing (I can't forget the post about a common friend that recently died), makes us feel close to its choices.
However there are a lot of other good Portuguese blogs about books examples: Cadeirão de Voltaire from Sara Figueiredo Costa and Andreia Brites, Vida de Livreiro from João Guimarães Rosa, Bibliotecas Portuguesas from José Pedro Silva and the Bookstore Pó dos Livros.

2008/03/27

Breve :: Quick post

Algumas novidades na coluna da direita e um excelente comentário do Pedro Santos.
There are some new features on the right column and an excellent Pedro Santos comment in Portuguese (sorry!).

2008/03/24

New Architectural Expression


Take a look at this new blog, introduced as "a Blogazine from S to XL…":
New Architectural Expression

2008/03/23

KOOLHAAS HOUSELIFE trailers



Title: KOOLHAAS HOUSELIFE
Genre: Art/Documentary | Director: Ila Bêka & Louise Lemoine | With: Guadalupe Acedo | Image: Ila Bêka | Sound: Ila Bêka | Editing: Louise Lemoine, Tiros Niakaj | Producer: Francesco Pappalardo | Production: BêkaFilms
Language: Français | Subtitles: English, Italian | Timing: 63'

[via archidose]
[take a look at BêkaFilms]

2008/03/22

Arquitectura ou um futuro desperdiçado

Estando a arquitectura longe de ser um novo ofício, o “Relatório - Profissão: Arquitecto/a” [2006] - organizado pelo Instituto de Ciências Sociais e realizado Manuel Villaverde Cabral (coord.) e Vera Borges, publicado pela Ordem dos Arquitectos, revela uma profissão muito jovem e tendencialmente feminina. Concentremo-nos na análise do acesso à profissão dos primeiros, com o conhecimento que a maioria dos inscritos na Ordem dos Arquitectos tem menos de 35 anos e que cerca de dois terços ainda não terá atingido os 40, de acordo com o referido estudo. Partamos do principio, sem nos preocuparmos em fazer a sua demonstração nestas curtas linhas, que o acesso à profissão é difícil, moroso e destruidor do potencial que o país criou nas universidades.
Perante a precária situação dos jovens arquitectos em Portugal, há uma corrente justificativa que se centra, genericamente, em dois argumentos: 1) as universidades estão longe das necessidades do mercado preparando mal os seus licenciados; 2) no país há arquitectos a mais.
Comecemos pela primeira questão. Sendo uma argumentação de carácter marcadamente ideológico, interroguemo-nos se a academia deve servir o mercado. Veja-se os exemplos recentes das licenciaturas em gestão, em grande destaque nos anos 90, e actualmente máquinas produtoras de licenciados para o fundo de desemprego. Como qualquer teórico do neoliberalismo defende, o mercado é veloz e modifica-se em tempos muito inferiores a de uma licenciatura.
Por outro lado, em Portugal, o Estado ainda é um dos principais agentes de educação de nível superior devendo, à partida, qualificar os seus cidadãos para que intervenham no desenvolvimento do seu país, o que não corresponde necessariamente aos interesses do referido mercado. Como bem soube resumir Manuel Tainha, diria que no caso específico da arquitectura, e contra o sentido do Tratado de Bolonha, a academia não deve papaguear o ofício.
A segunda argumentação, por vezes associada à primeira, é a de que há arquitectos a mais.
De acordo com os números disponíveis, em Portugal existe aproximadamente 1 arquitecto por cada 625 cidadãos. Embora este número possa impressionar, se pensarmos num quadro em que cada cidadão ao longo da sua vida necessitará três vezes dos serviços de um arquitecto, passamos a ter 1875 projectos por arquitecto. Contudo ambos os raciocínios são falaciosos, apenas importando o segundo para destruir a ideia subjacente ao primeiro.
Uma licenciatura em arquitectura deve continuar a ser, uma formação de carácter universitário que produz cidadãos com habilitações para exercer arquitectura, mas também deve poder construir profissionais com conhecimentos técnico-científicos que permitam ao licenciado enveredar por outras áreas profissionais com inevitáveis relações com a arquitectura como crítico de arquitectura, professor, cenógrafo, político ou treinador de futebol. Ou seja, o que importa é que sejam formados mais licenciados, pois o seu trabalho e conhecimento nunca é demais num país que tarda em evoluir. Mas se é verdade que este discurso assentaria bem a qualquer governante da nação, a prática diz-nos que sucede exactamente o contrário.
A utilização abusiva da urgência dos processos ou de empresas públicas e privadas para mascarar os concursos públicos, a continuada concentração da encomenda pública em estruturas bem relacionadas com os partidos do bloco central e as precárias relações laborais dentro dos escritórios de arquitectura, têm conduzido à rejeição da profissão ou a um violento processo de emigração, dos quadros superiores que o país formou.
Em Portugal, em geral, o jovem arquitecto é visto com desconfiança. O seu conhecimento de carácter universitário, a sua dinâmica e a sua prática profissional recente, são desvalorizadas em detrimento de quem está infiltrado nas teias do poder, tantas vezes pouco qualificado e/ou com um historial de resultados medíocre. Aliás as últimas revelações do passado profissional do Primeiro-Ministro actual reforçam este sentimento. Embora a discussão mediática se tenha centrado sobre argumentos de legalidade e de carácter estético, para o comum dos arquitectos é particularmente chocante a forma como hoje, um dos mais alto-responsáveis da nação, assume e corrobora tais actos. A institucionalização da antiga prática de José Sócrates, destruiu com poucas palavras, anos de trabalho pela revogação do DL 73/73, de consciencialização da importância da arquitectura como forma de melhoria das condições de vida e destrói, sobretudo, as expectativas de acesso à profissão de quem após seis anos de estudo e alguns de prática profissional, procura trabalhar no seu país.
Contudo, apesar de todas estas vicissitudes, os ateliers de arquitectura constituídos por jovens arquitectos despontam pelo país, baseados em estruturas colaborativas que vão resistindo, criando emprego e ganhando concursos dentro e fora do país. Contrariando a lógica de mercado que entende o vizinho como o primeiro inimigo, os resultados e notoriedade de uns tem vindo a ajudar outros a projectarem-se.
Urge que este fenómeno seja estudado e desenvolvido como, até ver, única forma de aproveitar o potencial científico-técnico constituído pelas universidades e como forma de subverter as medíocres teias de interesse e compadrio que dominam o país.

Tiago Mota Saraiva
Artigo para a Revista Construir - Março de 2008

[no english translation]

2008/03/21

ateliermob - Parque Mayer on Issuu

2008/03/20

Novidades :: News

Temos novidades nas sínteses dos projectos da coluna da direita. Novos projectos e um novo sistema de reprodução online das paginas síntese de cada projecto através da plataforma Issuu. Mais rápido e acessível.

We have new projects online, registered on the right column of this blog. We have started to post our PDF files on Issuu platform. It's faster and easier.


#004 (a)
#004 (b)
#009
#014
#015
#019
#023
#025
#026
#027
#030
#031
#033
#034
#041


[todos :: click to see all thumbnails]

2008/03/18

Seminário Internacional CINEMARCHITECTURE

Auditório Fernando Távora, Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto
7 e 8 de Abril

A Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto organizará a 7 e 8 de Abril, o Seminário Internacional Cinemarchitecture que juntará cineastas como Manoel de Oliveira , Fernando Lopes , João Mário Grilo e arquitectos como Nuno Portas , Alexandre Alves Costa , Manuel Graça Dias e Robert Kronenburg , entre outros.
Este Seminário integra-se no Workshop Internacional Cinemarchitecture que decorrerá na FAUP, de 7 a 18 de Abril, e que reunirá cerca de 40 estudantes nacionais e estrangeiros oriundos das Universidades do Porto, Cambridge, Liverpool e Tallin, e que desenvolverão trabalhos sobre o tema.
O Workshop integra também um Ciclo de Cinema que se realizará no Teatro do Campo Alegre e nos Cinemas Cidade do Porto que inclui filmes como “Belarmino” de Fernando Lopes , "Douro, Faina Fluvial" de Manoel de Oliveira , “Trinta Metres I Un Balcó” de Adriana Salvat, “Rear Window” de Alfred Hitchcock , “The Fountainhead” de King Vidor, “Mon Oncle” de Jacques Tati, “O Arquitecto e a Cidade Velha” de Catarina Alves Costa ou “Alice” de Marco Martins.

Para mais informações:
http://cinemarchitecture.arq.up.pt
Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto
Tel: 226057103/15
Fax:226057198
Email: sre@arq.up.pt

2008/03/16

Mosaico Hidráulico

A Rosa foi conhecer o famoso Sr. Zagalo. No Flickr podemos encontrar as suas fotografias.
Rosa went to meet Mr. Zagalo. Her photos can be seen on Flickr.

Fallon

[sem tradução]

Fallon was recently named Agency of the Year 2007, and it's going to participate in OFFF Lisbon'08. One of it's most popular campaign is the Sony Bravia TV Ads "Balls" and "Paint".




2008/03/14

Space Architects



"Space Architects is urgently seeking interns to work for free in Lisbon, Berlin, Horta, Shangai, Casablanca, Tokyo, Los Angeles and Moon Offices(modell making and Mars.ian proficiency is a must, previous mars and/or moon experience is a plus).Please do not read if you are not really qualified.
Space Architects is urgently seeking architects to work for free on Mars Research/Visit Project(no proficiency is a must, previous mars and/or moon experience is a plus).Please only digital Format Portfolio."

[link]

Pecha Kucha Night Lisbon VOL.04



A 4ª edição da Pecha Kucha Night Lisbon já tem data e local definitivo. Vai decorrer dia 22 Abril pelas 21h30 no edíficio da Central Tejo / Museu da Electricidade em Belém. A organização convida mais uma vez todos os interessados a apresentarem auto-propostas para esta edição até ao dia 22 de Março.

2008/03/12

Proposta Parque Mayer - ateliermob

PAINEL 01

MEMÓRIA DESCRITIVA
"A presente proposta, procura consolidar e relacionar a área de intervenção com a cidade existente a partir da alteração da sua escala, redefinição de espaços públicos e criação de novos eixos de permeabilidade com o território urbano limítrofe. Em torno do ascensor e da nova rua proposta, desenha-se um eixo pedonal que relaciona a Av. da Liberdade com uma parte alta da cidade - Príncipe Real, R. Escola Politécnica e Bairro Alto. Esta rua tem potencial para estabelecer uma relação natural com os circuitos culturais mais marcantes na cidade de Lisboa (ver ASCENSORES DE LISBOA). A partir da actual entrada do Parque Mayer, desenha-se a segunda via, num primeiro troço de acesso condicionado e posteriormente como via pública secundária, para residentes e acesso às estruturas comerciais. Na proposta, opta-se por manter dois dos Teatros existentes, Capitólio e Variedades, por se considerar que existe um valor patrimonial que não pode ser menosprezado, ao nível da consciência colectiva do Parque Mayer, enquanto estrutura de diferentes Teatros. O Variedades embora não tenha a relevância arquitectónica do Capitólio, em termos urbanos, desenvolve uma interessante confrontação espacial com o referido cine-teatro, sendo ainda de equacionar pontuais apropriações dos espaços públicos envolventes propostos como palcos de diferentes actividades – atente-se ao potencial uso como anfiteatro das escadarias de acesso à rua do ascensor. Os existentes muros de contenção do Jardim Botânico, serão adoçados por intermédio de um conjunto de plataformas que perfazem um percurso até à nova entrada do Jardim, cumprindo um dos objectivos do concurso ao estabelecer a ligação pelo “Parque” do “Jardim” à “Avenida”. Ao nível da estruturação do edificado procura-se repetir a escala das áreas urbanas consolidadas a Sul e Este, utilizando a tipologia de quarteirões com logradouros de solo permeável, potencialmente apropriáveis como hortas urbanas."

PAINEL 02

ASCENSORES DE LISBOA
"Em 1890, a Câmara Municipal de Lisboa, no contexto da construção da rede de ascensores que ainda hoje existe (Lavra, 1884; Glória, 1885; Bica, 1893), propôs a construção de um novo ascensor que ligasse a Av. da Liberdade ao Jardim da Escola Politécnica. Passado uma década a proposta mantinha-se ora utilizando a R. da Alegria ora a R. do Salitre. A presente proposta procura consolidar a estrutura de ascensores da cidade de Lisboa, propondo um novo ascensor, desta feita, ligando o Parque Mayer (Av. da Liberdade) ao Jardim do Príncipe Real (R. da Escola Politécnica). Aproveitando a estrutura de logradouros existente e a sua relação, por resolver, com os muros do Jardim Botânico, procura-se desenhar uma rua pedonal com ascensor e de trânsito condicionado. O seu comprimento é sensivelmente igual ao do Ascensor da Glória, pretendendo-se afirmar esta nova rua como um eixo de carácter cultural/comercial. Este carácter poder-se-á garantir com a potenciação das instituições culturais existentes no local – Hot Clube de Portugal (bar), Alfarrabistas e Teatros requalificados, e das que possam vir a transferir-se – Hot Clube de Portugal (escola), bares especializados (música africana, lounge, etc.) e outras estruturas culturais que aspiram regressar ao centro de Lisboa – Ler Devagar, por exemplo. Por outro lado, a estrutura de hotéis existente na Av. da Liberdade e as que estão para surgir no Príncipe Real, servem de âncora para uma ligação com natural apetência turística. Nas traseiras da Av. da Liberdade, com início no Parque Mayer e até ao Jardim do Príncipe Real, passar-se-á a desenhar uma nova estrutura de cidade de escala contida, que possa funcionar vinte e quatro horas por dia, e que se constitua como um braço de ligação ao topo do Bairro Alto."

PAINEL 03

ateliermob + Joana Taxa Figueiredo + Betar

[no english translation]

ateliermob @ construlink



O Construlink fez-nos uma entrevista e tem em destaque o nosso projecto para o Externato de S. Domingos em Fátima.

Construlink website has interviewed us, and since yesterday, it's featuring online our project for the Externato de S. Domingos in Fátima.

2008/03/11

Resultados Provisórios do Concurso do Parque Mayer

1º | Aires Mateus (seleccionado)
2º | ARX Portugal (seleccionado)
3º | Vão Arquitectos (seleccionado)
4º | Souto de Moura (seleccionado)
5º | Gonçalo Byrne (seleccionado)
6º | Alberto Sousa Oliveira
7º | ateliermob
7º | Fragmentos - Rui Santos
9º | Manuel Taínha + atelier do chiado
10º | Viana Baptista
11º | Manuel José Damásio
12º | João Santa-Rita
13º | Entre Rectas - Eduardo Capêlo
14º | Paulo Serôdio Lopes
15º | Pedro Ravara
16º | João Appleton e Isabel Domingos
17º | Francisco Silva Dias
18º | AN Arquitectos - Nuno Malheiro
19º | INOV Paisagismo - Rui Sá Correia
20º | Arquitecturas Associadas - João Paulo Martins
21º | FABER - Royal Ascoring
22º | João Rosário
22º | NPK + EMBAIXADA Arquitectura
22º | Saul Canney
22º | Contemporânea - Manuel Graça Dias e Egas José Vieira
22º | Marc Henry
22º | José Barros Gomes

Atenção: Os resultados, para além de provisórios, são os que conseguimos perceber do que foi dito em sede de Acto Público. Qualquer erro ou omissão detectada, queiram fazer o favor de nos informar.
Os trabalhos das equipas seleccionadas poderão ser vistos aqui.
Em breve colocaremos online a nossa proposta.

2008/03/04

SAMI projectam para a Mongólia


[link ORDOS100]

Ana Rita Sevilha in Construir
4 de Março de 2008

"O colectivo português Sami Arquitectos foi um dos gabinetes escolhidos para materializar um projecto no interior da Mongólia, na China.
O projecto a erigir na cidade de Oros contempla 100 moradias e é da responsabilidade da empresa Jian Yuan Water Engineering torná-lo realidade. Nesse sentido, a empresa contratou Jacques Herzog para escolher cem arquitectos, de 27 países diferentes, que darão corpo a esta ideia.
Em declarações ao Construir, Miguel Vieira, arquitecto e um dos responsáveis pelo Sami Arquitectos referiu que a selecção foi feita por convite, "recebemos um e-mail do Jacques Herzog a convidar-nos a integrar o projecto", e posteriormente houve um processo de confirmação, sublinhando contudo que, "não sabemos ao certo como o convite chegou até nós, podemos presumir mas não temos a certeza".
Miguel Vieira adiantou ainda que as equipas de trabalho foram divididas em dois grupos, sendo que o seu faz parte da segunda fase que irá ao local em Abril."

[no english translation]

2008/03/03

Concurso Público para o Parque Mayer

Parabéns aos seleccionados: Aires Mateus, ARX, Vão, Souto Moura e Gonçalo Byrne.
Em breve publicaremos a nossa proposta que ficou em 7º Lugar a 3,60% do 5º classificado. Demasiado próximo para sorrirmos. Sexta-Feira sai outro resultado.

[no English translation]